17.1.09

AO SUGO

Não sei por que algumas pessoas vêem a vida com leveza e outras não. Não sei se existe uma pesquisa a respeito. Não sei se o histórico de vida, condições sociais, o amor que receberam desde criancinhas, genética, alienação, satisfação sexual, poder, dinheiro, educação e tudo o mais que um pesquisador incluiria em seu questionário poderia responder. Talvez chegasse perto, mas como sempre existiriam as exceções. O que sei é que quando essa leveza quer dizer não-ignoro-todas-as-tristezas-do-mundo-mas-apesar-de-tudo-continuo-acreditando”, ela faz bem ao seu dono e as pessoas que por sorte o conhecem. Deve ser uma mistura entre consciência e fé, ou alguma coisa como o ponto perfeito do macarrão, um “al dente”, nem tão cru que a gente não consiga mastigar e digerir, e nem tão cozido que se transforme numa única pasta sem gosto.


2 comentários:

Monca disse...

É que alguns apostam. Uns nascem jogadores, outros podem aprender a jogar mas outros não gostam nem de brincar; quanto mais apostar- na vida.
É num vu(!) que a vida vai, e tem gente que custa pra vê.
Por via das duvidas em continuar acreditando ..."-apesar-de-tudo-continuo-'apostando. Porque não tenho nada pra perder.

Bom domingo, Seu Empalavrado.

Monca disse...

não liga pro 'vê'. foi só pra combinar com o 'vu' e o 'vai'.
;-)